sexta-feira, 6 de julho de 2007

Quinta-feira de comemorações

Silvio Luiz é foda! Tudo bem, há quem não goste, mas críticas são sempre bem-vindas para que uma pessoa tão boa não se exalte. Já está claro, obviamente, que não haverá espaço para imparcialidade neste texto. Sou, declaradamente, admirador extremo do profissional Silvio Luiz. Tecnicamente, sou forçado a concordar que há diversos narradores esportivos mais eficientes, porém nos quesitos emoção e criatividade Silvio supera qualquer um.

É claro que houve algo que me motivou a fazer tal manifestação de apreço tão repentina. Nada surge do nada (ou surge?). Bem, essa quinta-feira (dia 5) foi um dia de aniversários para mim: um ano deste simples blog e uma semana de uma mistura de conjuntivites viral e bacteriana, que me afastam do convívio social e do trabalho. Estou em casa, quase sem fazer nada, pois meus olhos não ajudam. Então, o que me resta é escutar música e, em alguns momentos, assistir um pouco de TV, até que os olhos comecem a reclamar. Futebol é uma das minhas paixões. Na noite de ontem assisti – ou escutei, já que em boa parte do tempo mantive os olhos fechados – o jogo Argentina x Paraguai, pela Copa América, na TV Bandeirantes.

O locutor da partida: Silvio Luiz, o mestre. Mestre porque me fez ter o prazer de acompanhar o jogo somente pelo áudio. Incrível como ele consegue manter características da narração de rádio, da qual sou um fã extremista, em partidas transmitidas pela TV, sem tornar a transmissão chata e exagerada, como ocorre com a maioria dos narradores que narram na TV como se estivessem no rádio. Silvio usa a medida certa: no tom de voz, na irreverência, nos comentários que muitas vezes lembram o de um torcedor e, claro, nos famosos bordões: Olho no lance! Pelas barbas do profeta! No paaaau! Pelo amor dos meus filhinhos! Ééééé... Mais um gol brasileiro, meu povo! Acerta o seu aí, que eu arredondo o meu aqui. Subiu o pano! Minha nossa senhora! E o meu preferido: O que é que eu vou dizer lá em casa?!

Respeito quem não se agrade com o estilo do Silvio, mas serei eternamente grato a ele por momentos como o de ontem, quando pude me divertir ao ouvir frases como: Eu não gostaria de pegar o Peru! Aos 73 anos, ele dá um show na transmissão, mostrando aquilo de que o futebol deve ser o maior portador: alegria! Com Silvio, a pior partida se transforma em criadora de momentos inesquecíveis, ao menos para mim. Mas, de qualquer forma, a opinião é minha, assim como a conjuntivite que fez uma semana na noite de ontem, o prazer na vitória da seleção argentina narrada pelo Silvio Luiz e o aniversário de um ano do meu blog.

Parabéns pro Silvio e pro blog. E também para a conjuntivite. Afinal, ao menos para este texto ela colaborou.
Hugo Rocha

2 comentários:

Natália disse...

Amor?! Parabéns pelo um ano do blog!
Parabéns à você, pelos textos maravilhosos, criativos, inteligentes, textos que conseguem prender nossa atenção. Ao final, nos perguntamos... "mas já acabou?!" =)
Bjo!
Deus abençoe você sempre!

Everaldo Vilela disse...

hahahahhah
"nos quesitos emoção e criatividade Silvio supera qualquer um"
emoção eu discordo, mas descontração, diversão e criatividade aí sim.

Sou fã do Galvão Bueno. Mas o Sílvio Luís comanda.

Esqueceu das melhores expressões:

"Tá lá na cajarana esquerda!"
"A bola foi no rodapé direito do goleiro"
"Balançou o esqueleto do lado de lá!"

hahaha
muito bom