domingo, 9 de setembro de 2007

A despeito de tudo

A Graça é,
Apesar de mim mesmo
A despeito dos outros
Não obstante a minha vergonha
Mesmo com o meu orgulho

A Graça permanece sendo,
Apesar do meu prazer
A despeito da minha dor
Não obstante o meu pecado
Mesmo com a minha justiça-própria

A Graça continua a ser,
Apesar do meu medo
A despeito da minha paz
Não obstante o meu amor
Mesmo com o meu desamor

A Graça não deixa de ser,
Apesar da minha amargura
A despeito do meu perdão
Não obstante a minha fé
Mesmo com a minha incredulidade

A despeito de tudo,
A Graça sempre será
Pois é dom de Deus
E não depende de mim
A Graça simplesmente é!


Hugo Rocha

Um comentário:

Andy disse...

Muito legal.