quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Aqui

De volta
Sem justificativas
Sem explicações

Justiça nunca pretendi
Não sou justo
Nem sequer almejo
Sou o que sou
Sem culpas
Sem dever

Logo, quase nada do que faço
é humanamente justificável
Tudo é apenas aplicável

Acontecimento, fato, algo natural

Assim como a chuva, sem aviso
e o vento repentino

Estou aqui
uma vez mais

Hugo Rocha

2 comentários:

C. disse...

De volta
Sem justificativas
Sem explicações

e como tem que ser!

- miH. disse...

"Sou o que sou
Sem culpas
Sem dever"


inveja profunda!