sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Chuva

A chuva não para [nota: é a primeira vez que escrevo esse 'para' sem acento agudo no primeiro a. mudança mais significativa, até o momento, em meu 2009]! Cruel, simplesmente destrói. Leva, em seus braços, vidas e semi-vidas. Bens e semi-bens. Casas e semi-casas.

Ela não tem pena. Muito menos compaixão. Obedece aos instintos. E, por não ter vazão por onde deveria, corre pelos trajetos que encontra. Não importa quem ou o que esteja no caminho... O importante é fugir, escapar...

2009 começa! E a força da água que carrega vidas é a mesma que deixa turbulenta a minha alma. Não, não estou feliz. Nem almejo ficar. Quero apenas ficar bem. Mas, pra isso, a chuva que atormenta meu coração precisa parar.

No primeiro Jornal Nacional de 2009, os destaques da virada.

No Rio, show de fogos em Copacabana;

Em São Paulo, comemoração na Avenida Paulista;

No Rio Grande do Sul, grande concentração na Usina do Gasômetro, em PoA;

Em Brasília, multidão na Esplanada dos Ministérios;

Em Santa Catarina, show de fogos histórico em Florianópolis. Até lá...

Em Minas, três mortes causadas pela chuva.
De positivo, o ótimo vt da Isabela.

Hugo Rocha

3 comentários:

Meu Irritante Eu disse...

Essa chuva está me preocupando mais do que eu gostaria. Um excelente começo de ano moço. Abração!

Anônimo disse...

"Não, não estou feliz. Nem almejo ficar. Quero apenas ficar bem."

Sinto exatamente a mesma coisa!

E poxa, ainda bem que a minha cidade é pacata e longe de chuvas fortes [acho que pela primeira vez na vida, agradeço por morar aqui]

:*

Bi disse...

Essa chuva, ralmente, não anda perdoando ninguém... Também ando preocupada, mas sem iniciativa de pensar/falar muito a respeito. Ótima abordagem do assunto!