quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Comunhão

Para certos caminhos,
não tenho mais fôlego algum
Mas, para a beleza da vida,
entrego toda a minha alma

Para certos caminhos,
não me sobra qualquer disposição
Mas, para a vida em comunhão,
entrego o meu coração

Para certos caminhos,
falta-me paciência e respeito
Mas, para as surpresas do Caminho,
direciono toda a minha expectativa

Para certos caminhos,
não tenho tempo a oferecer
Mas, para vocês, amigos, irmãos,
dedico toda a vida que ainda me resta

Hugo Rocha

2 comentários:

Gabriela disse...

Toda a vida que AINDA me resta foi um pouco desanimador... Te resta muita e muita coisa ainda, Hugo!
E continue escrevendo... muito bons seu textos!

Anônimo disse...

Pra certos caminhos descaminho,
e ainda passando por eles percebo
Que os caminhos certos são aqueles nos quais pisam meus pés
sejam la onde forem, nem que sejam meus descaminhos, é por ai que farei o meu caminho que sei a muito ja foi traçado, mesmo q eu ande pelos caminhos q todos dizem estar errado.


Saúde poeta das sem rimas!

Abraço my friend.

Jonatas.