segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Tanta dor

Minhas filhas
Pobres, queridas, amadas
Tanta dor se acumula em mim
Por não tê-las mais aqui
Próximas
Quando de vós eu necessitar

Triste é saber que ninguém as viu
Que o mundo não as pôde conhecer
Ceifadas que foram
Antes mesmo da primeira infância

A dor é inexplicável
Inigualável
Profunda
Intensa
Forte

Em meio à tristeza,
Palavras perdem a força
A única alternativa
é chorar


Serão as lágrimas capazes,
Capazes de exprimir
e levar com elas tanta dor?
Apenas o tempo dirá

Hugo Rocha

2 comentários:

Ruivaaaa... disse...

perdas as vezes são necessárias, para que haja espaço para maiores ganhos!

C.Wesley disse...

Meu Deus!!! Há tempos em que se diz "Meu Deus", não por Deus, mas pela falta de explicação por certas coisas que acontecem!!!
"Meu Deus"!!!