segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Fragmentos da Vida...

“Por que dura a minha dor continuamente, e a minha ferida me dói e não admite cura? Serás tu para mim como ilusório ribeiro, como águas que enganam?” (Jeremias 15.18)

“Eis que tens ensinado a muitos, e tens fortalecido a mãos fracas. As tuas palavras têm sustentado aos que tropeçavam, e aos joelhos vacilantes tens fortificado. Mas agora em chegando a tua vez tu te enfadas, sendo tu atingido te perturbas. Porventura não é o teu temor de Deus aquilo em que confias, e a tua esperança a retidão dos teus caminhos?” (Jó 4.3-6)

“Pois tu, ó Deus, nos submeteste à prova e nos refinaste como a prata. Fizeste-nos cair numa armadilha e sobre nossas costas puseste fardos pesados. Deixaste que os inimigos cavalgassem sobre a nossa cabeça; passamos pelo fogo e pela água, mas a um lugar de fartura nos trouxeste.” (Salmo 66.10-12)

Um comentário:

André Victor disse...

Hugo... obrigado pelo comentário em meu Blog... fico feliz que gostou do texto sobre comunhão...
Espero de fato que entendamos que nossas vidas não podem ser nada mais nada menos que laços entrelaçdaos de convívios com outros iguais a nós, que mesmo sendo totalmente diferentes, nos fazem enxergar a nós mesmos...
Paz sobre sua vida!

André Victor