segunda-feira, 13 de julho de 2009

[Contradição™ 2006-2009] Amo um[a] Rocha

Antes de tudo, quero esclarecer que não sei de onde o Hugo tirou a idéia de que eu escrevo bem. Convidou-me para escrever algo para seu blog com o argumento (nada convincente, rsrs) de que ele gosta de meus textos. Fico realmente lisonjeado pela oportunidade, pra mim isso é um prazer. Vou então falar de como ele tocou meu coração e cativou o meu amor.

De todas as coisas boas que me aconteceram estes últimos tempos, uma das mais preciosas, se não a mais, foi ter conhecido o Hugo. Agradeço a Deus por sua vida e por me dar a oportunidade de ter a amizade de um ser humano como ele. Sim, humano. Muito humano, assim como eu, como você e como Jesus. Sim, como Jesus! Deixe-me explicar:

Lembro-me muito bem, um dia desses em que estava com muitas perguntas e poucas respostas na minha mente. Tinha adquirido muito conhecimento a respeito de coisas sobre Deus, sobre a vida e sobre religião e precisava conversar com alguém para digerir isso tudo e tentar entender direito. Quem foi o "ombro amigo" (ou ouvido amigo)? Ele mesmo, o Sr. Hugo.

O estopim da conversa mais “renovante” que tive por MSN foi: "Manu, teu coração está nas mãos de Deus?" (ou algo assim) - eu perguntei - Confesso que sua resposta me surpreendeu. Disse-me que não havia compreendido a pergunta. Foi sincero, e eu entendi. Começamos então a falar sobre amor, fidelidade, novo nascimento. Me falou como ele se sentia em relação ao mundo. Pude sentir seu inconformismo com os padrões "deste século", como diria o Ap. Paulo, sem citações bíblicas. Sua sinceridade, sua transparência e sua sensibilidade são tão notáveis que... [não consigo explicar]

Conversa vai, conversa vem e chegamos ao assunto religião. Desde a queda do homem até os dias atuais. Discutimos como ela, por muitas vezes exerce o papel contrário à sua devida utilidade. Como o homem, inutilmente tem tentado se reconciliar com Deus através dos mais diversos meios incluindo ritos vazios e regras morais e como Deus enviou Jesus em forma de homem para destruir essa coisa maldita. Mas, uma das coisas que mais me pôs a pensar, por vários dias até, foi com relação a sua identidade em Cristo. Fiquei totalmente impactado e isso renovou minha mente!

Ele compartilhou comigo como Cristo faz parte de seu ser. Como não conseguia se ver de outra forma a não ser nEle. Confesso que isso mexeu muito comigo. Pela primeira vez ouço o testemunho de alguém que realmente tem Jesus no coração e faz isso ter sentido. Aliás, o que é ter Jesus no coração? Como posso entregar meu coração a Ele se Ele está em meu coração, e se meu coração na realidade é Ele! Voltamos à pergunta inicial. Respostas? Aos poucos vou descobrindo.

Aprendi muitas coisas com meu irmão, tanto que ele se tornou uma espécie de "conselheiro" às vezes. Quando tenho crises existenciais, pra quem recorro? Ele mesmo. Quando não tenho nenhum assunto, com quem converso? Ele mesmo. Ele se tornou pra mim algo como uma rocha (esse sobrenome me soa familiar), mas não pela perfeição, pois isso ele certamente não é, mas pela sua confiabilidade e honestidade. Meu "manu" é a uma das pouquíssimas pessoas que me sinto à vontade para ser eu mesmo. Acredito que Deus fez muita coisa na vida desse homem. Sua alma é extremamente rica, amorosa e graciosa. Uma alma assim só pode ter o toque especial de Papai. Eu e o Will seremos eternamente gratos por termos sido agraciados com tamanha benção que é a amizade desse cara. Falando sobre amizade, Will continua o papo...

Kennedy Lucas
Esse rapaz começou a me seguir no twitter e, logo de cara, perguntou-me se eu podia escrever um texto para o blog dele. Aceitei! E desse pedido surgiram dois textos e uma grande amizade. Apesar de ainda se assustar com alguns traços da minha contradição (como eu gostar de Diante do Trono, rárá), aos poucos o Kennedy tem aprendido a me aceitar e as perseguições têm cessado (aleluia! rárá). Mas esquecendo-me das (verdades disfarçadas de) brincadeiras, respondo ao questionamento feito por ele no início do texto: gosto do que ele escreve justamente pela sinceridade e pela alma que ele coloca em cada linha. Gosto da verdade (mesmo que não seja “a verdade”, mas “uma verdade”) que ele diz. E me constranjo com tanto amor derramado e entregue nas linhas acima. Leitura que me exigiu algumas lágrimas... O Kennedy escreve no blog Geração Renovada. Vale a pena a visita. Ainda mais agora que o blog está de cara nova: um belíssimo trabalho!

5 comentários:

Kennedy Lucas disse...

Nem lembrava como a gente tinha se conhecido! Rsrsrs.

Até q ficou "razoável" o texto, rsrs. Acho que o amor nos faz escrever melhor.

Bjo no coração manu!

Will, ve se não atrasa [mais]! Hehe.

Willcomjc disse...

Esse rapaz me conquistou tb!

Amo muitooooo!

.hugo rocha. disse...

o amor não só nos faz escrever melhor, mas nos faz pessoas melhores, hehe

obrigado pelo carinho, meus queridos

:D

Alessandra disse...

Não conheço o Kennedy e nem o Will, mas posso dizer que tenho o prazer de ser uma das pessoas próximas a você e que o ama muito.
Eles estão de parabéns, pois conseguiram exprimir de forma primorosa o que sua presença e suas palavras são para os corações aflitos: bálsamos.
Hugo é do tipo sincero, as vezes até demais, transparente e apaixonante... enfim, o amor da minha vida. O melhor amigo do mundo.

Te amo "Amore"!

Beijos

Alessandra

.hugo rocha. disse...

obrigado, alê

ninguém melhor para me descrever que você

:D