quinta-feira, 30 de julho de 2009

Viver é inevitavelmente difícil

Viver é inevitavelmente difícil. Não nego que existem coisas boas, mas nesses últimos tempos percebo que seria mais fácil se eu pudesse me isolar numa casa de campo, sozinho, sem contato com o “mundo” por um longo e indeterminado período de tempo. Eu e meus livros, meus CDs, alguns DVDs, mais alguns livros e muita coisa de comer. Sem responsabilidades, horários, telefones, celulares, internet e o mais impotante: sem pessoas. Se vou sentir saudade? Com certeza. Mas quem disse que saudade não é um sentimento bom para se cultivar? Sozinho? Não mesmo!

Tô precisando de um tempo para entender minha mente, meus sentimentos. Preciso de um tempo sem ver a idade chegar, sem me importar com o amanhã. Quero um tempo sem ouvir cobranças, dos outros e principalmente de mim mesmo. Quero um tempo para parar de me importar com os outros e com a impressão que deixo nas pessoas.

Este é um desejo razoável? Ou será que sou a pessoa mais egoísta do mundo?

Para não deixar pessoas preocupadas: estou bem, minhas férias estão ótimas! Descansado, relaxado, sorridente. Saí com amigos, conversei com amigos, ouvi meus amigos, fiquei com meus pais, li meus livros, ouvi minhas músicas, dormi! Mas apesar de tudo isso, minha mente não para. Sei que não realizarei meu desejo nem que eu quisesse, mas não custa nada sonhar.

Andy (que reflete o desejo da minha alma como ninguém. Não é à toa que somos irmãos!)

Um comentário:

André disse...

eh engraçado ver meus textos aki... e bacana... obrigado por tudo mano!