quarta-feira, 27 de abril de 2011

Ressignificar

Na última terça-feira, sentei-me com meu amigo-irmão Henrique em um bar no Maleta, a fim de beber uma Brahma e conversar um pouco. Escolhemos justamente o bar em que eu havia ido apenas uma vez, há vários anos, em um momento meio estranho da minha vida. O objetivo era ressignificar, dar outro sentido àquele lugar marcado em um momento da minha história. Tivemos sucesso!

Dali a dois dias, começaria o XII Congresso de Louvor e Adoração Diante do Trono, na Igreja Batista da Lagoinha. Uma das coisas que, para o meu amigo, reforça a minha contradição – ressaltada no título do meu blog, é o meu gosto por Diante do Trono e a minha paixão pela Ana Paula Valadão. Outra história antiga, carregada de significações.

Minha ida a tal evento é marcada por contradições. Primeiramente, discordo de 99% do que é dito. Porém, quando a música começa, sou levado a ambientes de outrora, espaços e memórias que ficaram no passado. As canções me trazem, de forma avassaladora, um sem-número de significados.

Mas, além da música, minha alma sempre busca por encontros. Ah, quem me conhece sabe bem disso. Encontros me motivam. Não esbarrões, mas encontros. Não gosto de conhecer pessoas, gosto de me encontrar com cada uma pessoa que se faz parte, de forma natural, de mim. Meio estranha a frase, mas impossível expressar em palavras de uma forma mais real.

No começo do ano passado, escrevi: “Quando chegou ao seu destino físico, a esperança era aquilo que o movia. Esperança que logo o deixaria. Ele ainda não sabia que não chegaria aos destinos que o motivavam: encontros. Não demorou muito para que o primeiro encontro se revelasse em um dos maiores desencontros já tidos na vida. A esperança era toda, agora, para o segundo encontro.

Mas o que houve foi um segundo desencontro. Não houve encontro. Definitivamente, a esperança o abandonara. A saudade o visitava de uma maneira avassaladora. Saudade dos encontros naturais e espontâneos que o visitaram durante o ano que se fora. 2009 chegara ao fim, mas tais encontros permaneciam, habitantes da eternidade.”

Engraçado é que ressignificar lugares, momentos, livros, músicas, histórias etc., para mim, é relativamente fácil. Até então, impossível era ressignificar pessoas. Mas aconteceu! Uma pessoa conseguiu. Alguém que, quando procurei, havia me proporcionado um dos maiores desencontros da vida. Nesses dias, tornou-se um dos maiores encontros.

Encontro inesperado. Encontro arrebatador. E aí eu me lembro de uma máxima que sempre usei “contra” a igreja evangélica: as pessoas não sabem esperar, não têm paciência para aguardar o crescimento natural e processual do outro. Isso sempre me irritou. É por isso que, mesmo sem muitas esperanças, permito que as pessoas se aproximem de novo, a fim de ver se alguma mudança aconteceu.

E dessa vez, admito, uma surpresa totalmente nova tomou conta de mim. Nunca havia tido uma experiência tão grandiosa em relação a alguém. Tão significativa. Ou melhor, ressignificativa. E só posso agradecer ao Eterno, por me brindar uma vez mais com coisas tão inexplicáveis humanamente. Fico constrangido e paro por aqui!

Hugo Rocha
Escrito às 9h20 do dia 27 de abril de 2011, em Contagem-MG

4 comentários:

André disse...

Belo texto, como sempre!!!
Gosto muito de ler suas palavras, principalmente quando elas estranhamente significam tanto para mim... =]

.hugo rafael rocha. disse...

obrigado, mano! é bom saber que meu coração às vezes consegue transmitir algum significado, mesmo em meio à minha contradição intrínseca (:

fiLipe ArêDes disse...

Poxa, acho que nunca tinha parado para pensar sobre a ressignificação que fatos, pessoas e objetos às vezes podem ganhar... Muito bom, Sr. Hugo, provocando-me como sempre boas e novas reflexões. Um abraço e uma - eterna - saudade de ti, até mais.

Amanda Mourão disse...

Sem dúvida as pessoas são, estranhamente, capazes de modificar-se. Opiniões sobre religiões são reçativas, então não entro nessa questão, mas as pessoas mudam à cada minuto, para isso basta apenas... Estar vivo!
Lindo texto e a ressignificação das coisas e acontecimentos são importantes para a nossa vida!