sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Ajuda-me a ver... o Amor!

“O próximo concurso que fizer você vai passar”, foi o que disse o tio Márcio, em agosto do ano passado. Eu acabara de voltar de São Paulo e de Barretos, onde, respectivamente, participei de um processo seletivo e da gravação do 13º projeto da série Diante do Trono – Aleluia. Nesse dia, eu tinha dito a ele que havia ficado em terceiro lugar em um concurso público cujo edital previa apenas uma vaga.

Na sala do seu apartamento, cantei pra ele: “Tantas vezes não consigo perceber Tua mão, Teu cuidado em meu viver. É sem merecer que as bençãos me alcançam. Quero reconhecer. Ajuda-me a ver o amor que me desperta pela manhã. Ajuda-me a ver bondade e misericórdia que me seguem, todo dia. Aleluia. Aleluia. Sejas louvado, meu Deus e Rei. Com os meus lábios, te bendirei. Todos os dias escolherei cantar: Aleluia! Aleluia!”

Nessa época, meu tio, um guerreiro, já lutava contra um câncer há cerca de um ano. Fui até a casa dele para tentar levar um pouco de força. Mas eu é que saí fortalecido. Assim era um dos meus heróis: em todo tempo, forte, incentivador. Mesmo quando necessitava, era dele que partia o incentivo ao outro. O ânimo fluía de suas palavras. E de seu olhar... Ah, o seu olhar. Jamais consegui mensurar o quanto de amor saía de seu olhar. Acolhedor. Carinhoso. Sincero.

Nunca – e, aqui, é nunca mesmo – o vi reclamar da vida. Nem mesmo na hora que a doença e a dor o atingiram. Coube a ele o papel de preparar todos para encarar a vida, em todas as suas faces. Assim como Jó, aceitou o sabor amargo da vida tão bem quanto o doce, reconhecendo que o Amor e a Graça de Deus – sempre – bastam!

Em minha vida, tentei de muitas maneiras – e continuo tentando – viver a proposta de Cristo para o homem: encarnar Deus, encarnar o Amor. Jesus foi assim. E o tio Márcio também. Um exemplo para todo aquele que deseja ser Cristo na vida daqueles que o cercam.

Nesses dias, muito ouvi sobre quem ele foi/é. Exemplo de pai, filho, irmão, tio, amigo, profissional. Realmente, ele foi exemplo em tudo isso. Cumpriu, com dedicação, a sua missão. Em todas as áreas. Mas não foi em nada disso que ele alcançou a excelência maior. Sua tarefa mais bem executada foi o amor. Poucos homens souberam (ou sabem) amar como o tio Márcio. Poucas pessoas entenderam como ele a principal prioridade da vida: o ser-humano.

E o reflexo desse olhar fica evidente quando observo a família que ele formou. Família que ele, mesmo tendo partido, não deixou. Ele permanece em cada um dos seus, em especial sua mulher Leila e seus filhos Marcinho e Caio. Pessoas formadas em e por amor. Família cujo caráter permanece inabalável a despeito de toda e qualquer dor.

E eu não escapo dessa influência. Dentre as inúmeras pessoas que ele ajudou a formar, ocupo lugar especial. Como jornalista, minha primeira matéria assinada foi escrita para ele. Vieram dele as maiores palavras de incentivo à minha capacidade profissional. Nos momentos em que eu mesmo duvidava totalmente de mim, ele me fez enxergar quem eu era.

Assim como Deus, que nos enxerga não como somos, mas quem podemos nos tornar, tio Márcio me contemplou. Acreditou, mesmo quando eu não acreditava.

Em fevereiro deste ano, recebi a notícia de que havia me classificado no concurso público da Universidade Federal de Minas Gerais, para ocupar uma vaga na minha área, jornalismo. No fim de maio, fui nomeado. Em julho, tomei posse.

Lembro com carinho das palavras que ouvi há pouco mais de um ano: “O próximo concurso que fizer você vai passar”. É, tio Márcio, você estava certo. Uma vez mais. Hoje, lembrando-me disso, consegui sorrir. Mas não por causa do que conquistei. Sorri quando fechei os olhos e me lembrei do seu sorriso de orgulho e de satisfação quando recebeu a notícia.

E do seu abraço! Ah, o seu abraço...

Te amo, meu herói... que me ajudou a enxergar, em todos os momentos, o Amor...

Hugo Rocha
Belo Horizonte, 2 de setembro de 2011, às 12h29, no Campus da UFMG... Um dia após a partida do meu herói.

13 comentários:

Gabriela Tinoco disse...

Lindo texto, que fez meus olhos ficarem mareados... Meu amigo, como reconheço a minha avó no seu tio Márcio, e não é só pelo fato de a mesma doença ter levado os dois, e nem porque nunca a ouvi reclamar de nada também, mas principalmente porque eles souberam amar como raras pessoas o fazem, e ainda foram capazes de nos preparar para o dia da partida... E eles olham por nós, de onde estiverem. Disso eu tenho plena convicção. Um forte abraço, ainda que de longe.

André disse...

lindo texto realmente. uma homenagem merecida! suas palavras são sempre um presente para todos que te leem, mesmo (e acho que ainda mais) nos momentos de maior dor!

Blog -MV disse...

Obrigado pela sincera homenagem!

Nosso herói, que deixa saudades e nos da incentivo para nunca desistir!

Deus está cuidando dele e de nossa família também.

Abraços!

Marcinho

Regina Celi de Santana disse...

Hugo, meu querido, que coisa mais linda!

Que bom ter tido um incentivador tão bom, pois o que precisamos, nesta vida, é de pessoas que nos impulsionem e levantem a nossa autoestima.

Creio que com a sua sensibilidade, todos ficarão encantados com o seu profissionalismo. Parabéns pelo concurso e por esta bela homenagem; o seu tio Márcio sabia quem era você! Sabemos quem foi o Márcio e, também, onde ele está, neste momento, pois buscou o Senhor, nosso Deus, de todo coração. A Palavra de Deus nos diz que, "" aquele que vem a Mim, de maneira alguma o lançarei fora." Sou testemunha disto!

Compartilho de seu carinho por ele e por toda família.

Um beijo meu,

Regina.

Will disse...

Lindo! Muito lindo. Invariavelmente, quando vem do coração, qualquer agradecimento, ainda que em forma de post/texto, é como um bálsamo ao coração alheio. Assim se deu no meu.

Amigo querido, meus sentimentos. Não é tão bom perder gente como seu tio, que entendeu o significado da vida. É por essas pessoas que acredito em anjos, sobretudo em anjos da guarda.

Não sei se você viu, mas dedico-lhe meu novo post no celebrai: http://celebraii.com.br/2011/08/31/aglorificacaodavida/

Um bjo em você e em toda a família do "Tio Márcio".

.hugo rafael rocha. disse...

gabi, minha querida amiga, obrigado pelo comentário. e pela amizade, sempre presente, se preocupando. lembro com carinho das suas palavras ao longo desses dois anos se luta. é uma honra saber que meu tio e sua avó se parecem, uma vez que ela me deixou um legado tão lindo, que é a sua amizade. =)

.hugo rafael rocha. disse...

andré, meu querido irmão, obrigado pelo carinho de sempre. presente é tê-lo como parte da minha vida =)

.hugo rafael rocha. disse...

marcinho, eu é que agradeço a oportunidade de ter tido seu pai como tio. um dia nos reencontraremos, mas por enquanto o encontrarei em você, no caio e na sua mãe, que tanto dele aprenderam. amo vocês!

.hugo rafael rocha. disse...

regina, obrigado por todo o carinho dispensado a mim e aos meus. sou grato pelas suas palavras, que tanto nos abençoaram e abençoam. beijos!

.hugo rafael rocha. disse...

will, obrigado pelas palavras. o consolo tem nos visitado! agradeço também a indicação do texto, muitíssimo belo. um beijo, mano!

Amilcar Mazala disse...

Grande Hugo, imensamente emocionado com suas palavras eu lhe agradeço. Agradeço pois, como sabemos o Tio Marcio foi e sempre será todo este exemplo que voce mesmo relatou, mais ainda, todos os que dele partilharam a companhia e o aprendisado e puderam dele colher frutos,em cada uma de suas palavras nos reconheceremos parte dele, afirmo que aprendi muito com ele mesmo que com pouco tempo de convivencia, trago comigo tudo que pude aprender com ele para a minha vida e minha profissão, tenho um carinho muito especial por todos de sua familia e posso dizer que de onde o Marcio está ele sente-se orgulhoso por ter podido transmitir a tantos tanta coisa boa. grande abraço pra voce e pra todos.
Amilcar Mazala

.hugo rafael rocha. disse...

valeu, amilcar! abraço =)

Amanda Mourão disse...

Nossa Hugo, que linda essa homenagem... Meus olhos encheram de lágrimas e fiquei imaginando o grande homem que ele deve ter sido... Mais um texto impecável seu... Lindo... lindo mesmo... Ah, e linda música que você cantou para ele... Sem dúvida é linda...