quinta-feira, 24 de maio de 2012

Creio, não tenho certezas

Foto: Kleber Bassa
Viver implica, incontáveis vezes, a experiência de não compreender. Aquilo que se vive ou mesmo o porquê de se ter que viver. Isso vale principalmente quando aquilo que se vive é uma dor.

A dor quase nunca é “explicável”, pode parecer cruel, mas ela existe para ser sentida. A intensidade com que se sente é variável: cada um a sente de uma forma, assim como também são diversas as formas de se lidar com ela.

Em “Confio em Teu Amor”, canção pertencente ao 11° álbum da série Diante do Trono, A canção do Amor, Ana Paula Valadão conseguiu expressar com maestria aquilo que se passa frequentemente dentro de mim. Logo nas primeiras linhas, descreve minha postura em meio à dor: “mesmo quando não posso entender, minhas lágrimas me impedem de Te ver, (...) calo o meu coração e me prostro...”

Criado em ambientes religiosos, desde cedo percebi que não fazia parte daquilo. Nunca me adaptei aos dogmas e às doutrinas e nunca tive qualquer disposição para me adaptar. Entre os anos de 2006 e 2008, vivi um dos períodos mais turbulentos da minha vida. Momento em que as minhas bases se tornaram, de repente, instáveis e até inexistentes. Nessa época, passei por caminhos bem próximos ao agnosticismo e ao ateísmo.

Foi nesse mesmo período, em meados de 2008, que o meu amigo Lucas me mostrou a prévia de “Confio em Teu Amor”. No momento em que eu vivia, percebi que teria que fazer uma escolha. Escolhi acreditar e confiar em Deus, Aquele que a mim se revela desde o início da vida como Amor. Ao mesmo tempo em que tornou-se-me inconcebível a vida sem Deus, percebi que nunca mais teria estômago para a religião. Escolhi trilhar um novo caminho. Meu, nEle e com Ele.

Para mim, hoje, é impossível conceber a existência sem relação com o Eterno. Não dou conta de viver assim. Mais que apenas acreditar, mas sem estar em relação e conexão diária e intensa com Ele. Sem recorrer a nenhum dos métodos tradicionais, como os rituais de orações e leituras religiosas. Ele simplesmente é em mim, a cada momento, na mesma medida em que apenas consigo ser por meio de Quem Ele é em mim. Difícil explicar. Muito mais fácil é apenas viver. Não há como definir aquilo que É e já está dado... Eu, limitado, não ouso definir Aquele que não possui limites. Não tenho tal capacidade...

Podem chamar-me de fraco, covarde... Não ligo! Não há sequer uma pessoa que não experimente dúvidas a respeito do sentido da vida e da existência. E mesmo assim nenhuma pessoa até hoje foi capaz de oferecer uma resposta plausível, coerente. Se acreditar em Deus é tolice, todas as outras alternativas são igualmente rasas, frágeis, instáveis. Todo ser-humano padece com a dúvida e com a falta...

Tem gente que acredita em uma “energia cósmica que coordena a vida”, mas me acha idiota e incapaz por acreditar em um deus que se revela como Amor... É preciso rever tais conceitos... Foi o mesmo amigo, Lucas, que no meio do ano passado sugeriu que eu escrevesse algo sobre “Confio em Teu Amor”, o que só aconteceu agora. Ontem, enviei a ele um sms com uma frase que escrevi e que, na hora, soube que encerraria este texto, que sequer havia sido escrito ainda... Verdade que nos une e que nos faz caminhar. Mesmo quando não podemos entender. Nos momentos em que as nossas lágrimas nos impedem de enxergar o Amor... Nesses dias, que são excessivamente maus, podemos dizer:

Sigo acreditando, mesmo contra toda argumentação - lógica ou não! É fé. Apenas creio, não tenho certezas. É escolha, a minha escolha de ser nEle e apenas por meio dEle.

Pra mim, é um Caminho irrevogável!

4 comentários:

Maria Hilda disse...

Muito bom o seu texto, sua maneira de ver e viver a vida com Deus.
Sim, confiar no Amor dEle é tudo e tudo que disse é verdade.
Que seu relacionamento com o Senhor seja íntimo cada dia mais até a completa perfeição.

Wallyson Souza disse...

Lindo texto mano.
De fato cada vez mais aprendo essa forma de ser um hebreu nessa terra.
Lendo seu texto, apenas uma música me veio a mente;
"Arrasto por onde vou
Correntes de amor eterno
E grito ao universo inteiro
Quem dEle vai me separar?
Silêncio na terra e no mar
Silêncio nos mundos distantes
Pois nada me arranca dos braços
D'Aquele que me amou primeiro."

Vicko Augusto disse...

Lindo texto amigo...como sempre né!
Palavras lindas, texto inspirador...
Parabéns!

André disse...

redundante ser mais um a dizer como seu texto é lindo e inspirador... mas é difícil encontrar outros adjetivos. saudade!