quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Homenagem a um herói: Hugo Rocha


Vovô Hugo,

Hoje é um dia triste para todos nós, pois você se foi deixando um grande vazio em nossas vidas. Gostaria de ter tido um pouquinho mais de tempo para prestar-lhe uma homenagem em vida. Seria no dia do seu aniversário - 4 de novembro. Iria escrever a sua história, contar sobre a sua participação na 2ª Guerra Mundial e sobre a sua trajetória de vida. Não deu tempo, mas talvez nem fosse preciso escrever uma história para que se fizesse saber o quão importante você sempre foi. Afinal, basta ver no olhar de cada um aqui para entender o quanto marcou a nossa vida.

Quem não teria algo para contar sobre o senhor? Foi marido, pai, avô, amigo! Foi alegre, com seu jeitinho peculiar, foi bravo (quem nunca levou um puxão de orelha seu?), mas ao mesmo tempo sabia dar amor e carinho, foi forte e também sensível, foi corajoso, um vencedor. Sempre me orgulhei de ser sua neta, de pertencer a uma família tão sólida e unida, que você e a vovó souberam construir tão bem ao longo de todos esses anos.

Pegar na sua mão, sentir o seu abraço sempre me deu uma sensação de segurança, a certeza de que você sempre estaria ali, me apoiando e me dando força. Como a vovó falou, parece até que você só estava esperando ela melhorar para garantir que alguém ficaria aqui cuidando de tudo, da nossa família. E quem melhor do que ela para fazer isso, né? Mas a verdade é que não estávamos preparados para perdê-lo e, talvez, nunca estaríamos, afinal, é muito difícil imaginar a vida sem você.

Você se foi, mas estará sempre presente em nossa memória e no nosso coração. Hoje, neste momento difícil, pedimos a Deus que nos dê força e coragem para prosseguir. Nos despedimos com a certeza de que você faz parte da história, seu nome está inscrito na história do país e até mundial, mas acima de tudo na história desta família: você sempre será o nosso herói, a nossa inspiração. Em nome de todos aqui presentes eu digo: obrigada por ter existido, por ter tornado nossa vida mais feliz com a sua existência. Nós te amamos e sentiremos saudades, sempre!

Sua neta, Raquel*.
20.08.2008
*Raquel Rocha, 23 anos, é minha irmã. Também tem a honra de ser neta de Hugo Rocha. Natural de Belo Horizonte, mora em Contagem, e cursa o último período do curso de graduação em História no Uni-BH.

Um comentário:

Meu Irritante Eu disse...

É muito triste perder um avô, o meu se foi em maio desse ano. Seja forte!!! Abração