terça-feira, 7 de julho de 2009

[Contradição™ 2006-2009] Realidade: minha verdade!

- Eu floreio minhas verdades.
Ele gostava de ler e em uma dessas aventuras, teria encontrado uma frase que o levou a refletir sobre a verdade; o que é a verdade?
- Não sei.
- A verdade é dura.
- Também.
Viver não é fácil. Depara-se com tantos problemas nessa caminhada que ele (quem?) procura algumas formas alternativas de deixar tudo mais agradável. Um olhar otimista, porém realista. Nada de utopia, mas de sonhar ainda não o proibiram.
- Esses dias me peguei aumentando um fato, nada de mentiras, mas é que as coisas não teriam acontecido bem daquela forma. Uma frase a mais, uma a menos, uma entonação “x”... Tudo para fazer da realidade algo “fabuloso”.
O cotidiano é banal e a rotina a qual nos sujeitamos muitas vezes é chata. Cansativa.
- Faço recursos, busco-me em tudo: aumento ou/e diminuo. Procuro acabar com as dores e reforçar: eu sou feliz. Eu consigo!
Ele consegue! Ah, eu afirmo: ele consegue. No seu jeito criativo de ser e tentar agradar a si e ao outro com piadinhas, gracinhas, brincadeirinhas, etc. Ele tenta ser o mais verossímil possível. Tenta!
- E consegue.
Mortes, assaltos, saltos, verdades, verdades, mentiras! Assaltos, assassinados, coitados! “Um avião da companhia Air France está desaparecido”. Tragédia no ar. Entre um ato e outro... Vivos? Na televisão, o humano, demasiado humano, exposto: “É só hoje, não percam a promoção”.
- Estou passando mal.
- Acalme-se.
- Que caos!
- Temos antidepressivos.
- Não quero.
- Temos maconha, LSD, êxtase, etc.
- Não quero.
- Temos um caixão, é de última geração, um designer francês que confeccionou.
- Não, muito obrigado.
Parece que cada um tem o seu mecanismo de defesa, suas armas para fugirem dessa realidade atroz. E ele (quem?) aumenta, brinca, esconde ali e aqui, camufla, maquia tudo – o mundo – para viver. Ele acredita, pensa, inventa uma verdade pra si. E assim, ele vive.

Meu Irritante Eu
Meu irritante eu é Filipe Arêdes. Amigo que conheci através do blogger. Gosto especialmente do blog dele pelo seu texto. Único e diferente. Em tempo de tantas coisas/pessoas iguais na blogosfera, o Lipe consegue fazer/ser diferente. O que ele escreve – e, principalmente, a forma daquilo que ele escreve – muito me agrada. Sou especialmente atraído pelo fato de discordarmos muito. A forma de o Filipe ver a vida frequentemente me irrita. Mas também, em igual medida, provoca-me à reflexão. E por isso é uma honra ter um texto desse irritante eu aqui no contradição™.

Um comentário:

Lipe Arêdes: disse...

Lisonjeado estou eu, por "estar" nesse blog. Abração amigo, e parabéns pelos 3 anos.