quinta-feira, 6 de julho de 2006

Um pouco de Copa

Estamos, enfim, na reta final da Copa. Itália e França, duas seleções que já são campeãs mundiais, decidirão no domingo às 15h quem fica com o título. O Brasil, que chegou tão alardeado pela mídia, em excesso pela nacional, terminará a Copa no 5º lugar, atrás de Itália, França, Alemanha e Portugal.

Apesar de ter ocorrido há 5 dias, a eliminação do Brasil para a França ainda gera comentários. A imprensa insiste em achar os culpados, o que, sinceramente, acho algo inútil. Se formos culpar alguém, temos que culpar o Zidane, que fez uma excelente apresentação, ajudando o time da França a jogar de forma infinitamente superior ao futebol apresentado pelo Brasil. Venceu o melhor! Futebol não é decidido por ranking, mas por uma simples partida, e, na partida de sábado a França foi melhor e venceu, se habilitando para enfrentar Portugal em uma das semifinais, a de ontem.

Da primeira semifinal, Alemanha x Itália, não tenho muitos comentários a fazer. Venceu a Itália, com justiça, 2 x 0. Já sobre o segundo jogo, Portugal x França, tenho algumas observações a fazer. Não a respeito do resultado, que também achei justo, mas sobre o comportamento da imprensa brasileira, salvo exceções, é claro! Tomo como base as transmissões da TV Globo e da Rádio Itatiaia, de Belo Horizonte, que representam bem o assunto que me incomodou: a tentativa de se transferir para a seleção portuguesa a frustração da eliminação brasileira.

Torcer para Portugal não é errado. Muitos brasileiros o fizeram. No entanto, não somos portugueses, e a imprensa não poderia ter torcido de forma tão ufanista para a seleção de Portugal. A mim, enquanto torcedor, este comportamento é permitido. Porém, profissionais que atuam na cobertura dos jogos devem entender que, embora a maior parte dos brasileiros torcesse por Portugal, como acredito, havia também uma parcela que torcia pela França, e que foi desrespeitada pela falta de isenção nas transmissões. Cito como exemplo uma frase dita pelo repórter Álvaro Damião, da Itatiaia, que afirmou que "nós brasileiros estamos torcendo pra que a história mude”, ao término do primeiro tempo, 1 x 0 para a França. Faltou a ele dizer com base em que ele afirmou que nós, brasileiros, ou todos os brasileiros, estávamos torcendo para Portugal.

Acho que a imprensa, de forma geral, se esqueceu de algo: os portugueses, assim como os franceses, não são brasileiros. Qualquer que seja o time que ganhe a Copa, a posição do Brasil continuará sendo o melancólico 5º lugar. Agora, que a seleção brasileira não conseguiu cumprir a tarefa, muitas vezes dita por Galvão Bueno, de “trazer alegria a esse povo tão sofrido e apaixonado que é o brasileiro”, a responsabilidade foi repassada aos portugueses que, assim como quando colonizavam o Brasil, não tiveram condições de cumprir esta tarefa.

O Brasil tem o melhor futebol do mundo. Somos um país independente de jogadores de outras nações. Mas, de repente, voltamos a depender de Portugal para nos dar alegria. Nunca cuidaram bem do Brasil, e não foi dessa vez. E, pra ser sincero, agora não dependemos mais de outros países para nada, certo?

Hugo Rocha

3 comentários:

Patrick Matos disse...

Olá montei um Blog de zueira para poder comentar aqui...rsrsrsrs...
Perfeito o que vc falou... acho e eh por ai msm q tah aconteçendo... Não podemos conter nossa indignação tirando nosso time de campo e partindo pra torcida adversaria... Seu Blog vai ser irado... seus pensamentos são mto bons... continuei assim cara, vc vai longe...

helder matias disse...

A imprensa brasileira e principalmente a "familia global" se esqueçeu de varias das premissas basicas do jornalismo, dentre elas a de informar com imparcialidade, é meio utópico isso, mas é o que seria correto. Já sobre a seleção brasileira não existia informação, só bajulação e talvez por isso só agora apareçeram vários podres sobre a mesma, só agora a imprensa procurou informação, pois antes, no meu ponto de vista de torçedor inconformado era entretenimento: entrevista particular com jogador, ana maria braga na concentração, galvão e os seus lampejos de comentarista. Tudo isso contribuiu para que o tempo que o Brasil ficou na copa se tornasse um show a parte o BBB das estrelas literalmente, e o unico que poderia evitar isso era o kiko (parreira) juntamente com a CBF, uma postura mais rigida para com tais veiculos da imprensa deveria ter sido tomada, mas não o foi, será pq? - o que globo e cbf tem em comum? - muita coisa e por isso cobranças não houveram, os outros veiculos eram impotentes diante da magnitude deste primeiro.
Eu critico particularmente a globo e dentre outros "ancoras" individuais do futebol, pois ambos deixaram de fazer jornalismo a muito tempo quando se trata de seleção ou copa e por isso foi todo este afâ logo em seguida por Portugal.
Bem, quebraram a cara, e agora devem ir atrás de Zidane!!
Devo ter saido do assunto principal, mas surgiu do nd isso aqui...hauhauau
Itália vai ser campeã

Paulo Henrique disse...

Ow, muito legal essa sua ideia de fazer esse blog, suas ideias seus textos sao incriveis vei, vc com certeza vai ser um cara de sucesso na vida. Concordo em td que vc disse nesse texto sobre a copa. Flws