sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

E em 2011?


Em 2009, previ que em 2010 as pessoas se afastariam um pouco mais do Criador. E em 2010, então, tentei ficar mais próximo dEle…

Em 2009, previ que em 2010 os laços familiares ficariam mais tênues, frágeis... Em 2010, com isso, fiquei mais próximo dos meus pais, irmãs, tias, tios, primas, primos...

Em 2009, previ que em 2010 as pessoas buscariam cada vez mais relacionamentos frágeis, passageiros, líquidos. Então, em 2010, eu trabalhei para fortalecer os meus laços de amizade...

Em 2009, previ que em 2010 as doenças afetariam o mundo com mais crueldade. E, em 2010, senti isso na pele. Sofri a dor em minha família. Sofri a minha dor.

Em 2009, afirmei que em 2010 eu carregaria menos esperança que nos anos anteriores. E realmente foi assim...

Em 2009, prometi que em 2010 eu continuaria a crer que o Amor é o Caminho para a transformação deste mundo... E nessa verdade não deixei de crer...

Em 2009, disse que em 2010 continuaria amando os que me cercam... Lembrei que amor não é promessa que se faz para o futuro, mas decisão que se toma no “hoje”. E por meio dessa certeza conduzi meus passos.

Em 2010, fui família. Em 2010, fui dor. Em 2010, fui nEle. E apenas por meio dEle cheguei até aqui, no limiar entre 2010 e 2011.

E em 2011?

Sei lá o que será de mim em 2011. Não tenho nenhum medo de dizer que começo o ano sem nenhum plano ou projeto. E, o que pode ser ainda pior (ou melhor), sem qualquer expectativa...

É isso: não espero nada de 2011. Só sei que vai chover de novo. Deu na tv...

Mentira! Na verdade, tenho um único anseio: que o Eterno me acolha, cada vez mais, em Seus braços e que meu caminhar me leve sempre para mais perto dEle.

(Mentira de novo! Tenho outra vontade, confesso, mas essa me acompanha já há algum tempo: que todos aprendam a hora correta de empregar os verbos no infinitivo e a usar os sentimentos no singular! Mas isso foge à proposta do presente texto...)

Desejos de feliz 2011? Não, obrigado!

Desejem-me apenas aquilo que lhes desejo: vida, muita vida, muitíssima vida!

Até o ano que vem (quem sabe...)

Hugo Rocha
Escrito às 19h16 do dia 31 de dezembro de 2010

3 comentários:

André disse...

e que venha o novo ano... espero mesmo que possa te ter mais perto, mesmo tão longe!
Amo vc irmão!

Jônatas R. Santos 13º disse...

Cara! q doido! q saudade de vc!
To atualizando meu blog de poesia...dpois da uma olhada, http://poesiadescartavel.blogspot.com/
abraço mano!!!!!!!!!!!!

.hugo rafael rocha. disse...

saudade também, mano! certeza que passarei por lá =]