terça-feira, 12 de julho de 2011

Eu não tenho tempo pra perder com ressentimentos...

Há alguns dias ouvi, pela primeira vez, uma música cujo trecho citado no título deste texto me chamou muita atenção. “Eu não tenho tempo pra perder com ressentimentos quando penso que ele me ama...”

Desde então, pus-me a pensar no tanto de tempo que já perdi e tenho perdido com coisas inúteis, futilidades que deveriam ser simplesmente esquecidas. Às vezes até irracionalmente, mas coisas que ficam lá, guardadas sob o meu coração, incomodando, mesmo que disfarçadamente.

Nas últimas duas semanas, a palavra “tempo” ganhou uma nova conotação na minha vida. Assumiu um novo valor. Acordando às 4h40, trabalhando em dois lugares diferentes e resolvendo uma série de outros compromissos, percebi o quanto o tempo é precioso. E, sem balela, eu não tenho tempo pra perder. Antes, já não tinha. Agora, menos ainda.

É por isso que continuo com o meu compromisso diário de fugir de toda e qualquer tola e vã discussão. Um dos motivos do meu gosto pelo twitter é este: lá eu falo o que quero, o que penso, e pronto! Não discuto, não respondo. Gosta do que escrevo? Bom! Não gosta? Bom também. Mas, se não gosta, dê unfollow e o problema está resolvido. Não venha retrucar, perguntar, argumentar. Eu não tenho tempo pra perder...

É incrível pensar que ele me ama. E ele aqui, para mim, é deus. E te indico viver esta experiência: “eu não tenho tempo pra perder com ressentimentos quando penso que ele me ama...” E não me importo se você acredita ou não que ele exista. Não serei eu a tentar te fazer acreditar, uma vez que não possuo qualquer certeza acerca disso. O que tenho é fé: creio com o meu coração. A razão não entra nessa brincadeira.

Não vou gastar linhas tentando argumentar acerca da existência de deus justamente porque não tenho tempo pra perder... com nada. Mas o ponto mais importante ainda é não perder tempo com ressentimentos. Ele te ama. Seja ele qualquer pessoa que você quiser escolher. Ninguém passa pela vida sem ser amado por pelo menos uma pessoa.

Re-sentir. Sentir algo de novo. E o lance é que a gente costuma experimentar de novo mais os sentimentos negativos que os positivos. E ficamos ruminando aquilo, ao invés de nos cercarmos de amor. Às vezes estamos até cercados de muita gente que nos ama e nos quer bem. E, ao invés de curtir esse amor, perdemos tempo com ressentimentos causados por pessoas que não estão ao nosso lado.

É por isso que eu decidi gastar um pouquinho do meu tempo tentando não perder tempo com ressentimentos. Tanta coisa ruim me atingiu na vida, em especial nos últimos quatro anos. Mas muita coisa boa também me aconteceu. Por que manter o foco no que há de ruim? Por que deixar o que é bom de lado? Por que deixar uma decepção apagar o brilho de inúmeras conquistas?

Acho que o motivo de isso acontecer é o mesmo: a dor é mais forte que qualquer outro sentimento. Quando nos atinge, tem o poder de levar-nos a esquecer todas as coisas boas. Mas, a partir de hoje, quero aprender o exercício de manter o olhar sobre as boas coisas que têm me alcançado. Tudo é graça!

Aos que me fizeram e me têm feito mal, só pra reforçar:

Eu não tenho tempo pra perder com ressentimentos...

Hugo Rocha

Um comentário:

fiLipe ArêDes disse...

esse tal "tempo" atormenta a todos, não é mesmo? E, felizmente, ainda não achamos fórmula certa para usurfruí-lo, portanto devemos viver! Não se esqueça de guardar um pouquinho desse tempo para um fortuito encontro com esse seu amigo que muito lhe admira.